Clara Strapazzon


Ainda ontem, no final da tarde,
Quando o sol, recolhia seu resplendor,
A lua se aproximou, sem alarde,
Flertando o mar, com olhar sedutor.



Contemplava-se, espelhada nas águas,
Tão bela, verdadeira dama, da noite,
Viu brotar, lá no fundo, algumas mágoas,
Por sentir-se tão só, em sua pernoite.



Nota a presença, do sol, lá distante,
Mas o queria ali, bem perto, presente,
Enroscar-se no seu reflexo... amante.



Nesta noite, a lua se sente uma rainha,
Porém, ao mesmo tempo, tão carente,
É tanta solidão, e  ninguém advinha.

 

 



                       


 

Envie essa página a um amigo

Seu Nome:
Seu E-mail:
Nome do Amigo
E-mail do Amigo:
Digite uma mensagem para seu amigo

 



Design by Clara Strapazzon ®

Copyright © 2009/2012 by Clara Strapazzon

Todos os direitos reservados .

 

alvorada